“REUMATISMO”

FIBROMIALGIA

A fibromialgia é um distúrbio caracterizado por dor músculo-esquelética generalizada acompanhada por problemas de fadiga, sono, memória e humor. É mais frequente em mulheres que homens.

SINTOMAS

Os sintomas de fibromialgia podem começar após um trauma físico, cirurgia, infeção ou stress psicológico significativo. Noutros casos, os sintomas podem ser de instalação insidiosa, sem nenhum evento desencadeante. Acredita-se que nesta entidade possa haver fenómenos de sensibilização central com amplificação da perceção da dor e alteração do seu processamento a nível do sistema nervoso central, podendo estar associada a dores de cabeça tipo tensão, distúrbios da articulação temporomandibular , síndrome do intestino irritável, ansiedade e depressão. Enquanto não há cura para a fibromialgia, uma variedade de medicamentos pode ajudar a controlar os sintomas. Exercício, relaxamento e medidas de redução do stress também podem ajudar.

FEBRE REUMÁTICA

A febre reumática é uma complicação não supurativa (auto-imune) de uma infeção da orofaringe pelo streptococcus b-hemolítico do grupo A de Lancefield, num hospedeiro susceptível. A febre reumática é mais comum em crianças dos 5-15 anos de idade, embora possa ocorrer em crianças mais pequenas ou adultos. Embora a faringite streptocócica seja comum, a febre reumática é rara. A febre reumática pode causar lesões cardíacas permanentes, incluindo disfunção valvular e insuficiência cardíaca. Durante o curso infecioso pode haver quadro de poliartrite (várias articulações afetadas) associada, seja por deposição de imunocomplexos (artrite auto-imune – doença reumática) seja atrite sética (infeciosa).

OSTEOARTRITE

Artrite é uma inflamação de uma ou mais articulações. Os principais sintomas da artrite são dor em repouso e à palpação, rigidez, calor, rubor (vermelhidão) e aumento do volume articular. As causas mais frequentes de artrite são a osteoartrose agudizada e a artrite reumatóide, um distúrbio auto-imune que atinge primeiramente o revestimento das articulações (sinovial). A artrite por deposição de cristais de ácido úrico, infeções, psoríase ou lúpus, são outros exemplos. Os tratamentos variam dependendo do tipo de artrite. Os principais objetivos dos tratamentos para artrite são reduzir a inflamação, a dor e melhorar a funcionalidade e qualidade de vida.

OSTEOARTROSE

A osteoartrose ou simplesmente artrose é a forma mais comum de patologia articular, afetando milhões de pessoas em todo o mundo. Ocorre quando a cartilagem protetora nas extremidades dos ossos se desgasta com o tempo. Embora a osteoartrose possa danificar qualquer articulação do corpo, o distúrbio afeta mais comumente as articulações a carga ou microtraumatismos de repetição como ancas, joelhos, coluna vertebral e mãos.

Embora o processo degenerativo subjacente não possa ser revertido, é possível gerir os sintomas com eficácia por muito tempo e atrasar a progressão da doença, com tratamento fisiátrico, medicação anelgésica, condrosuplementação oral e viscossuplementação intrarticular. Na ausência de melhoria aceitável e/ou défice funcional importante, pode propor-se cirurgia como última linha de tratamento. Manter-se ativo, manter um peso adequado é fundamental para atrasar a progressão da doença e ajudar a melhorar a dor e a função articular.

ESPONDILITE

A espondilite anquilosante (EA) é uma condição crónica que cursa com inflamação da coluna e outras áreas do corpo. Os sintomas da EA podem variar, mas geralmente envolvem dor nas costas e rigidez que melhora com o exercício e não é aliviada por repouso, dor e aumento do volume articular noutras partes do corpo, como ancas, joelhos e costelas e fadiga. Estes sintomas instalam-se gradualmente, geralmente ao longo de vários meses ou anos, e podem surgir e desaparecer com o tempo. Estes ciclos intermitentes de inflamação articular contribui para a sua degradação progressiva levando a limitação da amplitude de movimentos, com sequelas frequentemente irreversíveis.

DOENÇAS REUMÁTICAS

O reumatismo ou doença reumática é um termo abrangente para as condições que causam dor crónica, muitas vezes intermitente, que afeta as articulações e/ou o tecido conjuntivo. O termo "reumatismo", no entanto, não designa nenhum distúrbio específico, mas abrange pelo menos 200 condições diferentes, incluindo a osteoatrose, doenças auto-imunes e secundárias a doenças infeciosas. A abordagem da doença reumática tende a concentrar-se na componente de artrite, mas o "reumatismo" também se pode referir a outras condições que causam dor crónica, agrupadas como "reumatismo não articular", também conhecida como "síndrome de dor regional" que engloba a articulação e os tecidos moles envolventes. Alguns casos de dor articular crónica reumática foram associados a doenças infecciosas. A sua etiologia era desconhecida até início do século 20 e não era tratável, como a doença de Lyme (norte dos EUA), coccidiomicose ou febre do vale (oeste dos EUA) e Chikungunya (Índia) e uma infinidade de causas de artrite pós-infecciosa também conhecida como artrite reativa como, por exemplo, a febre reumática uma vez muito comum após a infecção por Streptococcus do Grupo A até à rara doença de Whipple. Outras causas de doença reumática são as doenças auto-imunes que ocorre quando sistema imunitário ataca o corpo do paciente.